Colágeno e a saúde dos ossos, tendões e articulaçõesCom o aumento da longevidade da população, as desvantagens do envelhecimento tornam-se aparentes: duas das principais preocupações de saúde são osteoartrite e osteoporose, principais causas de dor e incapacidade. Sabe-se que o Colágeno Hidrolisado pode ajudar a manter a saúde óssea e articular prevenindo estas doenças.

 

Ossos

Quando a massa óssea está funcionando bem, existe uma constante rotatividade de tecido para assegurar que o osso permanecerá forte. Na osteoporose, no entanto, há um desequilíbrio entre a formação e reabsorção óssea, resultando em perda de massa e uma deterioração estrutural do tecido ósseo.  Não há realmente nenhuma forma típica da osteoporose, depende muito da causa, do sexo e da idade da pessoa. No entanto, dois tipos principais da osteoporose têm sido identificados: Osteoporose primária (tipo I) é conhecido como o osteoporose pós-menopausa e é causada pela drástica redução nos níveis de estrogênio subseqüente à menopausa. estes hormônios exercem influência sobre os sistemas de outros hormônios que estão envolvidos no metabolismo ósseo. Osteoporose secundária (tipo II) é conhecido como a osteoporose senil. Ocorre em homens e mulheres mais velhos, geralmente após a idade de 70 anos, e pode ser devido à inatividade.

 

Colágeno Hidrolisado previne a osteoporose

 

Osteoporose no mundo

    De acordo com a Organização Mundial da Saúde , 15% daqueles entre 50 anos - 59 anos de idade, e 70% das pessoas acima de 80, sofrem desta deterioração dos ossos, a maioria muitas vezes levando a fraturas de quadril, espinha, e no pulso. Fratura do quadril, o mais comum , regularmente requer hospitalização. É fatal em 20% dos casos, e desativa permanentemente mais de 50% e apenas 30% conseguem se recuperar totalmente.

 De acordo com a Datamonitor (2009), a incidência de osteoporose tem aumentado em todo o mundo desde 2003, como nos EUA (2,5% ao ano) ou a Índia (1,9% ao ano), e vai continuar crescendo.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Articulações

 A cartilagem consiste em um único tipo de células, os condrócitos embutidos na matriz extracelular formada por dois componentes principais: colágeno tipo II que confere resistência à tração para o tecido e agrecan (sulfato de controitina) que fornece a capacidade da cartilagem para resistir à força de compressão. A síntese e recomposição organizadas da matriz extracelular assegura e mantém a bioquímica característica da cartilagem.

 Na osteoartrite, a forma mais comum de artrite, esta regulação é interrompida pela presença de moléculas pró-inflamatórias que fornecem o estímulo para as enzimas que degradam a matriz extracelular. Estas enzimas degradam a agrecan e colágeno, resultando na perda de cartilagem e função.

 Esta degeneração crônica das articulações é considerada pela Organização Mundial de Saúde como uma das top dez doenças incapacitantes nos países desenvolvidos. Para aqueles que são afetados, as conseqüências são importantes porque 80% apresentam limitações de movimento, e 25% não podem executar suas principais atividades  diárias da vida.

 Todas as articulações podem ser afetadas, embora ocorra com mais freqüência sobre o joelho e quadril e na coluna vertebral. Em estágios avançados, é extremamente doloroso.

 A osteoartrite é geralmente devido ao processo de envelhecimento. Porém, a osteoartrite pode se manifestar devido  a fatores externos como  por exemplo, em pessoas cujas atividades envolvem stress das articulações, em atividades esportivas ou mesmo no trabalho. Excesso de peso também pode causar osteoartrite assim como, doenças reumatológicas.

 

 

Artrite no mundo

 No mundo, estima-se que  a artrite afeta 9,6% dos homens e 18% das mulheres com idades acima de 60 anos.

 Além disso, de acordo com Datamonitor (2009), a incidência da artrite tem aumentado em todos os países, desde 2003, tais como na Índia (2,3% ao ano) ou Brasil (2,1% ao ano) e deve continuar a crescer.

 

Incidência de osteoartrite no mundo 

 

Colágeno Hidrolisado é o ingrediente perfeito para manter a saúde dos ossos e das articulações

 Colágeno, que representa 90% da massa orgânica do osso, foi identificado como eficaz na prevenção de doenças ósseas. Vários estudos têm demonstrado que a ingestão diária de 10g por dia de Colágeno Hidrolisado por 4-24 semanas, aumenta densidade mineral óssea.

 Pesquisadores lançaram luz sobre o mecanismo de ação do Colágeno Hidrolisado, e mostraram que a matriz extracelular na qual as células crescem é determinante para sua diferenciação.

 Eles demonstraram que quando os peptídeos do Colágeno Hidrolisado estão presentes nesta matriz, os osteoblastos, células responsáveis pela formação óssea, são preferencialmente estimu
lados, ao ivés de osteoclastos, as células envolvidas na reabsorção óssea. Estes desencadeiam a formação óssea.

 O estudo clínico relatado por Moskowitz, realizado em várias populações por um período variando de 30 a 90 dias, demonstrou um efeito positivo sobre a redução da dor nas articulações com a dose de 10g de Colágeno Hidrolisado por dia. O efeito foi ainda mais pronunciado em pacientes que sofrem com sintomas mais graves.

 Outro estudo mais recente realizado avaliou a eficácia de Colágeno Hidrolisado em um grupo controlado, no qual 250 indivíduos com osteoartrite primária do joelho receberam 10g de colágeno hidrolisado ao dia por 6 meses. Os resultados mostraram uma melhora significativa no conforto da articulação do joelho, sendo mais beneficiados os pacientes com maior grau de deterioração das articulações.

 A eficácia do colágeno hidrolisado também foi comprovada em atletas com dor nas articulações relacionada com a atividade. Em um estudo de 24 semanas que foi realizado em 2008, 147 indivíduos que competiam foram recrutados, e foram aleatoriamente divididos em dois grupos: um grupo recebendo um líquido com 10g de Colágeno Hidrolisado, e outro grupo que recebeu placebo.  No final do estudo, os participantes foram avaliados por médicos e foi demonstrado estatisticamente, significativa melhora nas dores nas articulações em repouso, ao caminhar, em pé ou carregando algum objeto pesado.

 O uso diário de Colágeno Hidrolisado na dose de 10g proporciona: Restauração da densidade mineral óssea para níveis saudáveis, aumento do tamanho dos ossos e os torna mais fortes, estimula a formação óssea ao invés da reabsorção, estimulando assim o seu crescimento, reduz de forma rápida de eficiente as dores nas articulações que de alguma forma sofreram grande degradação, acumula nas cartilagens após 12 hora da ingestão tornado o tratamento rápido e suave.

 

Referências Científicas

1. Nomura, Y., Oohashi, K., Watanabe, M. and Kasugai, S. 2005. Increase in bone mineral density through oral administration of shark gelatine to ovariectomized rats. Nutrition, 21: 1120-1126.  2. Wu, J., Fujioka, M., Sugimoto, K., Mu, G. and Ishimi, Y. 2004. Assessment of effectiveness of oral administration of collagen peptide on bone metabolism in growing and mature rats. Journal of bone and mineral metabolism, 22: 547-553.  3. Adam, M., Spacek, P., Hulejova, H., Galianova, A. and Blahos, J. 1996. Postmenopausal osteoporosis: calcitonin treatment on a diet rich in collagen proteins. Casopis lekaru ceskych, 135(3): 74-78.  4. Mizuno, M. and Kuboki, Y. 2001. Osteoblast-related gene expression of bone marrow cells during the osteoblastic differentiation induced by type I collagen. Journal of biochemistry, 129: 133-138.  5. Andrianarivo, A.G., Robinson, J.A., Mann, K.G. and Tracy R.P. 1992. Growth on type I collagen promotes expression of the osteoblastic phenotype in human osteosarcoma MG-63 cells. Journal of cellular physiology, 153: 256-265.  6. Lynch, M.P., Stein, J.L., Stein, G.S. and Lian, J.B. 1995. The influence of type I collagen on the development and maintenance of the osteoblast phenotype in primary and passaged rat calvarial osteoblasts: modification of expression of genes supporting cell growth, adhesion, and extracellular matrix mineralization. Experimental cell research, 216: 35-45.  7. Guillerminet, F., Beaupied, H., Fabien-Soulé, V., Tomé, D., Benhamou, C-L., Blachier, F., Roux, C. and Blais, A. 2009. Hydrolyzed collagen improves bone metabolism and biomechanical parameters in ovariectomized mice: an in vitro and in vivo study. Bone.  8. Moskowitz, R. 2000. Role of collagen hydrolysate in bone and joint disease. Seminars in arthritis and rheumatism, 30 (2): 87-99.  9. Ruiz-Benito, P., Camacho-Zambrano, M.M., Carrillo-Arcentales, J.N., Mestanza-Peralta, M.A., Vallejo-Flores, C.A., Vargas-Lopez, S.V., Villacis-Tamayo, R.A. and Zurita- Gavilanes, L.A. 2009. A randomized controlled trial on the efficacy and safety of a food ingredient, collagen hydrolysate, for improving joint comfort. International journal of food sciences and nutrition, 12:1-15.  10. Clark, K.L., Sebastianelli, W., Flechsenhar, K.R., Aukermann, D.F., Meza, F., Millard, R.L., Deitch, J.R., Sherbondy, P.S. and Albert, A.. 2008. 24-Week study on the use of collagen hydrolysate as a dietary supplement in athletes with activity-related joint pain. Current medical research and opinion, 24 (5): 1485-1496.  11. Oesser, S., Adam, M., Babel, W. and Seifert, J. 1999. Oral administration of 14C labelled gelatine hydrolysate leads to an accumulation of radioactivity in cartilage of mice (C57/BL). Journal of nutrition, 129: 1891-1895.  12. Oesser, S. and Seifert, J. 2003. Stimulation of type II collagen biosynthesis and secretion in bovine chondrocytes cultured with degraded collagen. Cell tissue research, 311: 393-399.